29 de nov de 2009

Ciência na sala

Pelelê derruba água no meio da sala, e mamãe manda ele limpar tudo.

Um tempinho depois, mamãe olha e o local está uma bagunça, com o chão ainda muito molhado.

Mamãe reclama e o Pelelê tem uma resposta na ponta da língua:

_ Mamãe, quanto tem muita água,o pano só não resolve. Precisa do sol, não sabia? Porque a água vira vapor com a luz do sol. A água fica 'vaporizada' aí explode e vira vapor...

Inglês

O Pelelê está aprendendo o nome das partes do rosto, na escola de inglês. Um dia, quando assiste a um desenho do Scooby Doo na TV, ele para e vem falar com a mamãe, todo empolgado:

- Mamãe, a Dafne falou Harry Nose!

- Hum, hum, fala a mamãe, sem demonstrar muito interesse.

- Mamãe, ela falou Harry Nose! Harry Nose! Harry Nose!

Mamãe continua sem dar muita importância ao fato, até que o Pelelê perde um pouco a paciência.

_ Mamãe, você não está entendendo, né? O nome dele é Harry Nariz, entendeu agora?

Astronomia

Mamãe está estudando em casa. O Pelelê chega e dispara todo o seu conhecimento sobre astronomia:

- Mamãe, existe algum planeta de fogo? Estou falando planeta, porque o sol não vale, que é uma estrela de fogo. O sol não é um planeta. É amarelo e as outras estrelas são brancas. Mamãe, existe algum planeta que brilha? É que uma vez eu estava no outro apartamento que a gente morava, e eu vi uma estrela muito brilhante no céu, eu acho que era o planeta Vênus. Eu sempre quis conhecer Vênus, mamãe! E finalmente eu vi Vênus!!!

Sem esmero

A família está no carro, quando o Pelelê fala:

_ Mamãe,como é mesmo aquela música da casa? Canta pra mim.

- "Era uma casa muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada..."

Mamãe começa a canção e o Pelelê canta junto até o final:

- "Mas era feita com muito esmero, na rua dos bobos, número zero"

Quando terminam,o papai fala:

_ Filho, você sabe o que é 'esmero'?

- Não, responde o Pelelê.

-Esmero, Pê, é carinho, cuidado, atenção...

Antes que o papai conclua a explicação, o Pelelê, interrompe:

- Então eu acho que essa casa não foi feita com cuidado, papai, pois não tem teto, chão, parede nem lugar para fazer xixi!

15 de nov de 2009

Caneta perfumada

Mamãe está usando uma caneta nova e mostra ao Pelelê.

-Filho, veja! É uma caneta que tem tinta perfumada!

O Pelelê dá um cheiro na folha de papel récem-escrita, olha a caneta, olha a mamãe e fica pensativo.

Depois, fala:

- Mamãe, se a caneta tem cheiro de frutas, então os homens derrubaram árvores que dão frutas para fazer essas canetas. Isso não é ilegal?

Prefeito por dois dias III

o Pelelê fez uma lista grande com as ações para quandor for prefeito por dois dias:

- Que os animais das lojas sejam livres;

- Que todos os carros sejam Kombi;

- Que todas as ruas tenham rampas de skate;

- Que os pais malvados sejam presos;

- Que todos os pais peguem os filhos na escola às 9 horas;

- Que o sítio de vovô vire uma pousada;

- Que os construtores façam casas para crianças pobres;

- Que as crianças levem cilindros de oxigênio quando forem a escola;

- Que tenha televisões grandes na frente dos prédios.

Mamãe lê a lista inteirinha e pergunta:

- Filho, por que as crianças precisam de cilindros de oxigênio?

- Para respirar melhor, né, mamãe?

- Hum, e qual o tamanho dessas tvs que você vai colocar nos prédios? Do tamanho da tv da nossa sala?

- Não, maior, muito maior.

- Quanto maior?

- Do tamanho do prédio, mamãe!

- E para quê você precisa de uma tv tão grande nos prédios?

- Mamãe, eu não sou o prefeito? Então é para que todas as pessoas da cidade possam me ver, quando eu estiver falando com elas, oras!

Prefeito por dois dias II

O Pelelê sempre dá trabalho para ir à escola. Um dia após decidir ser prefeito,porém, ele acorda bem cedo.

Mamãe ainda estava dormindo, quando acordou com um barulho de água no banheiro. Ainda na cama, ela olha e descobre o Pelelê lavando o rosto e molhando os cabelos.

Quando termina, ele passa para o quarto e volta já vestido - com uma calça de moletom e uma camisa branca.

- Mamãe, preciso de uma gravata.

- Uma gravata? Para quê, filho?

- Mamãe, você esqueceu que hoje eu vou ser prefeito por dois dias? E prefeito precisa de gravata, né?

Mamãe concorda e vai buscar o acessório.

Já todo arrumado, dali a pouco o Pelelê volta, mas com um ar preocupado.

- Mamãe,só tem um problema: onde fica a prefeitura?

Prefeito por dois dias I

Mamãe chega tarde do trabalho, mas o Pelelê ainda está acordado.

Empolgado, logo que abre a porta, ele começa a falar rápido:

- Mamãe, sabia que eu vou ser prefeito por dois dias?

- É mesmo, filho?

-É, e até já decidi o que eu vou fazer na cidade, comenta o Pelelê, mostrando o plano de ação para o seu governo.

Antes que mamãe tenha tempo de olhar o papel, o Pelelê continua. Mamãe, acho que eu não quero mais ser prefeito por dois dias não.

- Não? Mas por que, filho?

- Porque agora eu quero ser prefeito para sempre!

- Mas, Pê, para sempre não pode. Tem uma eleição, a pessoa é escolhida para ser prefeita por quatro anos e, se a população da cidade gostar, a pessoa pode ser prefeita por mais quatro anos.

- Mamãe, ninguém me escolheu prefeito, por isso eu vou ser prefeito para sempre!

- Mas, se nao teve eleição, como você virou prefeito?

- Eu ganhei no "pedra, papel e tesoura", lezinha.

Arte

- Mainha, você já me criou alguma vez?

- Eu não estou te criando, filho?

- Não, estou perguntando se você já me criou com papel, lápis de cor, massa de modelar ou gesso.

Ah, você quer saber se eu já fiz alguma arte inspirada em você?

- Isso!

- Ah, fiz não...

Hum, então, você me cria hoje à noite, tá?

Paixão

Mamãe está lendo no quarto, e o Pelelê chega de repente.

Fazendo cara de galã, ele dispara:

- Mamãe, eu te conheço de algum lugar?

- Claro filho, da minha barriga!

- Não, bobinha, do meu coração!

Hamlet

Pelelê está vendo uns desenhos na TV e para um pouco:

- Mamãe, qual o significado de "Ser ou nao ser"? É ser ou não ser vampiro?

Sorte

Mamãe e o Pelelê estão na escola de inglês.

Ao final da aula, a professora do Pê me procura, com ar de preocupada:

_ Hoje eu fiz uma competição na escola, o Pedrinho perdeu e começou a chorar. Eu fui tentar consolá-lo e ele disse que você havia mentido para ele, comentou a professora.

Meio contrangida com a revelação da professora, fui procurar o Pelelê na escola.

_ Pê, tudo bem?

- Tudo.

- Você participou de uma competição hoje na aula?

- Não.

- Mas eu soube que houve uma competição, que você perdeu e começou a chorar...

- Não.

- Mas eu soube que você disse que eu tinha mentido para você. Por isso que você estava chorando.

- É verdade. E você mentiu sim!, resmunga o Pelelê. E continua:

- Lembra que quando a gente ia saindo de casa, tinha uma mudança? E você disse que quando a gente vê uma mudança, tem sorte, né? Pois eu perdi no jogo.

Sem ação, mamãe continua o caminho para casa calada.

Alguns minutos depois, o Pelelê retoma a conversa:

- Mamãe, quanto tempo depois que a pessoa vê uma mudança é que começa a sorte? Uma hora, três horas, um dia, um mês depois? Em quanto tempo a pessoa começa a ter sorte?

- Depende, Pê. Por exemplo. Na semana passada, quando você saiu da aula de inglês, pediu para eu comprar um lanche e mamãe estava sem dinheiro. Hoje, você pediu para eu comprar um lanche, e mamãe comprou duas pipocas para você. Está vendo, então você teve sorte por mamãe estar com dinheiro hoje!

Pelelê fica uns segundos pensativos e fala:

_Ah, então a sorte da pessoa só começa no meio da tarde!