28 de abr de 2009

Família

Mamãe está ocupada e o Pelelê começa a chamar:

- Laís! Laís!

Mamãe, obviamente, não responde!

O Pelelê insiste:

_ Laís! Laís!

E se irrita:

- Mamãe, eu estou falando com você!

- Comigo? Mas eu não me chamo Laís...

- Você é Laís, sim, papai é Luís e eu sou Lucas!

Mamãe faz cara de interrogação, mas continua a conversa:

- Filho, eu sou Angélica. Por que você quer que eu me chame Laís?

- Ah, mami, porque eu sempre sonhei ser da Família do L!

24 de abr de 2009

Viagem

Pelelê começa a fazer uma lista para uma viagem imaginária e vai checando o que já está ok:
- Comida - confere; lençois - confere; lanche - confere...

Mamãe vê um desenho que não entende e pergunta.

- Filho, e o que é isso aqui que você vai levar?
- O meu registro de nascimento, mamãe. Para a pessoa saber que você não está me roubando.

19 de abr de 2009

Fama

- Mamãe, você é famosa?

- Não.

- Mas, mamãe, você tem fãs?

- Alguns, filho. Você, seu pai, minha mãe... mas, você queria que eu fosse famosa, Pê?

- Sim! E rica!

- Mas eu não quero ser rica, filho.

- Mãe, só um pouco rica. É que eu queria ter uma kombi, porque eu quero muito dormir numa kombi.

Ajuda

Mamãe e Pelelê estão lavando a varanda.

Mamãe derruba um vaso com um cacto e quando vai levantá-lo, enche as mãos de pequenos espinhos.

- Ai, ai!

- Calma, mamãe, eu vou lhe socorrer - começa a dizer o Pelelê, mas quando corre, cai no chão.

- Quer dizer, depois que eu me socorrer primeiro...

Joelho

A família está no carro, indo para o supermercado.

De repente, o papai faz uma parada brusca. E o Pelelê reclama:

- Papai, não faz isso! Eu estava mordendo meu joelho e quase que engulo ele inteiro, de uma vez só!

3 de abr de 2009

Crise dos 5 anos?

Já é tarde da noite e mamãe tenta colocar o Pelelê para dormir.

Depois de muita conversa, começo a rezar com ele:

_ Papai do céu, obrigada por este dia tão especial, obrigada...

De repente, o Pelelê começa a chorar e a soluçar, muito angustiado. Mamãe não entende nada e tenta saber o motivo do choro:

- Pê, o que você você tem? Está doendo alguma coisa? Fala, filho!

Ele apenas chora e soluça. Mamãe apela mais um pouco e Pelelê desabafa:

- Eu sou um menino qualquer.

(E tome choro).

Sem entender nada, mamãe argumenta que ele não é um menino qualquer, é uma criança especial, muito amada por seus pais, tem brinquedos, roupa, comida etc.

Soluçando, Pelelê fala:

- Sou especial não. Eu sou um menino qualquer e não quero ser um menino qualquer.

- Mamãe tenta consolá-lo com vários argumentos, mas o Pelelê apenas chora. Até que mamãe insiste em saber porque ele se acha um menino qualquer. E ele responde, ainda chorando.

- Eu sou um menino qualquer e não quero ser!

- E o que você quer, filho?

_ Quero ter muita força, quero ter poderes... Quero ser verde!

1 de abr de 2009

Jesus II

Mamãe está almoçando, e o Pelelê chega para mostrar algo.

Ele aponta para o joelho, onde se vê um um arranhão.

- Caiu de novo na escola, filho?

- Foi. Jesus não cuidou de mim de novo.